Artigos

RESUMO: O mundo enfrenta vários problemas sociais, ambientais e econômicos. Esses problemas resultam principalmente da conjugação de fatores como o forte aumento da população mundial, uso abusivo dos recursos naturais existentes e poluição da atmosfera, solo e água. Sendo o setor da construção um dos grandes responsáveis pelos problemas descritos, foram desenvolvidos alguns instrumentos para avaliar a sustentabilidade e reduzir o impacto da construção.

RESUMO: A conscientização sobre a degradação do meio ambiente causada pelas políticas de desenvolvimento adotadas pela sociedade moderna, provocou reflexões aprofundadas sobre os problemas ambientais, sociais e econômicos que afetam o planeta, tendo daí emergido o conceito de desenvolvimento sustentável como contraponto ao conceito de desenvolvimento baseado apenas em critérios econômicos.

RESUMO: As constantes alterações sofridas pelas cidades contemporâneas, fruto das crescentes taxas de aumento populacional, causam graves impactos no meio ambiente em que se inserem, assim como nos aspectos sociais e econômicos no âmbito do território urbano. Dentro desta perspectiva, torna-se urgente a elaboração e aplicação de instrumentos que permitam orientar o planejamento urbano no sentido da sustentabilidade.

RESUMO: O aumento mundial da urbanização desencadeia desafios para o desenvolvimento sustentável, intensificado pelo aumento da população nas cidades. As projeções para 2050 das Nações Unidas demonstram que a urbanização, associada ao crescimento da população mundial poderá trazer 2,5 bilhões de pessoas para as cidades.

RESUMO: A ventilação natural é uma estratégia de resfriamento passivo eficaz para conforto e redução da energia usada por sistemas de ar condicionado, especialmente para regiões tropicais onde a temperatura e umidade são geralmente altas. As varandas são elementos arquitetônicos caracterizados por áreas sombreadas e ventilação permanente com um impacto significativo no conforto e na distribuição do fluxo de ar dentro do edifício.

RESUMO: Os edifícios são grandes responsáveis pelo consumo energético e pelas emissões de CO2, causadores do efeito estufa, e representam um desafio global para o futuro de baixo carbono. As fachadas recebem destaque por serem o maior elemento construtivo e exercerem grande influencia no consumo de energia das edificações.

RESUMO: A construção vernácula carateriza-se pela relação próxima com as condições locais do meio em que se insere (clima, materiais, economia, cultura, etc.). Os territórios continental e insular de Portugal são marcados pela heterogeneidade entre si pelo que deu origem ao desenvolvimento de diferentes tipos de arquitetura vernácula.

RESUMO: Entre o século 19 e a primeira metade do século 20, Portugal testemunhou um significativo crescimento do setor industrial com bairros industriais a emergirem dentro e nas proximidades de várias cidades. Contudo, a partir da década de 1960 até ao final do século, devido ao atraso tecnológico dos processos de produção, muitas dessas unidades industriais cessaram a sua atividade deixando os seus edifícios ao abandono, conduzindo à sua progressiva degradação.

RESUMO: O sector dos edifícios contribui para 30% das emissões anuais de Gases de Efeito Estufa e consume cerca de 40% da energia. Contudo, o consumo de energia nos edifícios pode ser reduzido entre 30% a 80% através de tecnologias comercialmente disponíveis. A aplicação de tecnologias de armazenamento de energia térmica na envolvente dos edifícios tem sido indicada como um método benéfico para a melhoria da eficiência energética dos edifícios.